A seca, a fome, os retirantes: a brutalidade do chão em rugas

A seca, a fome, os retirantes: a brutalidade do chão em rugas

São Bernardo, de Graciliano Ramos, publicado em 1934, é uma obra que expõe a fragilidade e a riqueza da terra. Uma narrativa tensa que concilia o humano e desumano; a força, a fragilidade, a rudeza e a instrução. Um narrador-personagem, Paulo Honório, que apresenta a sua história de vida, de suas conquistas e de suas perdas.

A obra foi apresentada para os alunos do 2º Ano do Ensino Médio como um “passeio” pelo contexto histórico da década de 30. Foi solicitado que identificassem as conturbadas crises do período (1930/1940) voltadas para a economia, para as questões sociais e políticas em todo o mundo e que percebessem que os artistas estavam focados nas temáticas sociais. 

Os alunos produziram uma carta a Paulo Honorário, indagaram o fazendeiro sobre seus mandos e desmandos e retrataram, numa tela, assim como fez Cândido Portinari com a série de telas “Os Retirantes”, de 1944, a vida difícil e dura na fazenda São Bernardo.

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*