Vida em condições extremas

Vida em condições extremas

Estima-se que a vida na Terra tenha surgido há cerca de 3 bilhões de anos. De lá para cá, muita coisa mudou, como as características dos seres vivos e também dos ambientes do Planeta.

Ao longo do tempo, alguns organismos se adaptaram a sobreviver em ambientes cujas condições não são favoráveis para a maioria das formas de vida conhecidas. A esses organismos, dá-se o nome de extremófilos, ou seja, que vivem em ambientes extremos. 

Os organismos extremófilos podem ser classificados como:

– Termófilos: que vivem em condições de elevadas temperaturas;

– Halófilos: que vivem em ambientes com alta salinidade;

– Psicrófilos: que vivem em ambientes com baixíssimas temperaturas;

– Acidófilos: que vivem em ambientes muito ácidos;

– Alcalófilos: que vivem em ambientes de extrema alcalinidade;

– Radioresistentes: que sobrevivem a altos níveis de radiação.

Um exemplo de organismo extremófilo é o tardígrado, considerado o ser vivo mais resistente da Terra.

No dia 20/04, os alunos do 7° Ano do Centro de Ensino Guroo desenvolveram um trabalho de pesquisa na disciplina de Ciências Naturais, sob a orientação do professor Diogo Barros, em que puderam conhecer um pouco mais sobre as características gerais desses e de outros organismos extremófilos tão curiosos.

 

Prof.: Diogo Barros Reis Silva

Ciências Naturais

 

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*