É possível estudar com MEMES?

É possível estudar com MEMES?

Na era das redes sociais as linguagens foram modificadas, hoje fomos acostumados a ter imagens nos incentivando a ler textos, por exemplo. Neste contexto, os memes são uma expressão contemporânea de comunicação social, geralmente consumidos apenas por um curto espaço de tempo, trazem humor e ironia a temas variados.

Explorando a rede social Instagram pode-se encontrar muitos perfis dedicados ao ensino utilizando abordagens inovadoras e mais interessante aos estudantes. Com essa motivação, os professores Guilherme “Big” (História) e Caio (Química) desenvolveram a Avaliação Criativa das “Moléculas que mudaram a História & MEMES”. Os alunos do 1º ano do Ensino Médio foram convidados a refletir sobre se é possível estudar com memes e quais os desafios para tornar os conteúdos mais leves, divertidos e organizados. Individualmente, os alunos pesquisaram por moléculas que tenham apresentado alguma relevância na história da humanidade e desenvolveram memes sobre uma das moléculas estudadas. Além dos memes, escreveram textos explicando o contexto histórico em que a molécula selecionada pelo estudante foi protagonista na história da humanidade.

O processo todo rendeu boas risadas e o produto final foi cheio de criatividade. As apresentações em slides continham até três memes; a fórmula química que representa a molécula estudada; o texto explicativo em uma formatação seguindo os padrões do Instagram; hashtags (#) com palavras-chave sobre o trabalho; além das fontes de pesquisa para a execução do trabalho.

“É possível estudar com memes? Acho que não, porque para entender o meme você já tem que ter estudado.
Quais os desafios para tornar os conteúdos mais leves, divertidos e organizados?  Com um estudo mais divertido as aulas se tornam menos cansativas, assim trazendo um aprendizado melhor” declarou uma aluna.

Abaixo o acesso ao trabalhos dos estudantes.

Giovanna Bellaguarda

Giulia Parisenti

Igor de Souza Gil

Ian Machado Rodrigues

Isadora Cavalari

Jasmim Fontes Arantes

João Vitor Damasco

Lucca Nesi

Maria Eduarda de Matos

Mariana Esteves

Rafaela Wolff

Vinicius Laux

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*