A relação aluno – Língua Espanhola

A relação aluno – Língua Espanhola

Diferentes destrezas como suporte no processo reflexivo da relação aluno – Língua Espanhola

por Ana Paula da Costa Silva

Falar sobre idiomas precisa ser algo além do que uma escolha da língua estrangeira no vestibular. Pensando em uma perspectiva mais ampla, foram propostos alguns momentos de reflexão aos alunos do ensino médio sobre a Língua Espanhola e seu uso global na busca de um conhecimento amplificador de percepções socioculturais: 

    1. Historietas: a partir da apresentação de diferentes tirinhas do universo hispânico como Macanudo, Tutelandia, Gaturro, Mafalda, Diario de una volátil,  foi possível, através da compreensão leitora, ampliar o conhecimento sobre os autores, as obras, as características do gênero textual em questão e também claro dos traços usados/ característicos de cada um, através de entrevistas e demonstrações em vídeos (compreensão audiovisual);

 

  • Producciones audiovisuales: com o objetivo de rompimento de estereótipos  e compartilhamento de pontos de vistas, foram lembradas as produções de maior destaque no Brasil como La casa de papel e Narcos e também propostas outras produções que trazem dinâmicas diferentes às mencionadas anteriormente mas, que igualmente são exitosas como as séries La casa de las flores e Las chicas del cable e os filmes ganhadores de Oscar como Todo sobre mi madre e El secreto de sus ojos.
  • Música Hispana: não existe relação mais próxima com um idioma que a relação com a música já que esta, está presente em diversos momentos do nosso cotidiano: na televisão, no rádio, na propaganda, no cinema; e no caso da música hispânica, é necessário ir além da quantidade de views ou downloads nas plataformas; a música é uma excelente ferramenta para auxiliar na compreensão auditiva (ao ouví-la), expressão de oralidade (ao cantá-la), compreensão leitora (ao lê-la) e principalmente  romper o senso comum em relação à ritmos e cantores. Os alunos foram chamados a conhecer desde músicas hispânicas que passaram pelo processo de versão em português (e nunca se imaginaria que são regravações) e também foram apresentados à cantores de diferentes nacionalidades como: Residente, Lucero, Nach, Paulo Londra, NTVG, dentre outros. 

Estes momentos durante as aulas são extremamente importantes porque além de ocasionarem situações de interação entre professor-aluno e aluno-aluno, propiciam deduzir que o lugar da língua estrangeira em nosso cotidiano vai além de seu uso formativo: é linguístico, social, histórico e cultural. 

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*