Você conhece a teoria de aprendizagem de Reuven Feuerstein?

Você conhece a teoria de aprendizagem de Reuven Feuerstein?

O método de aprendizagem de Reuven Feuerstein

Reuven Feuerstein nasceu em Botosan, na Romênia, em 1921. Mudou, ainda criança, com a família para Israel e aos oito anos auxiliava crianças israelitas na alfabetização. Mais tarde foi estudar na Suíça, na Universidade de Genebra, e entrou em contato com a psicologia e foi aluno de Jean Piaget. Tornou-se professor e doutor em psicologia, porém, ao entrar em contato com as ideias de Vigotski, optou por ser seu seguidor. 

As teorias de Feuerstein  trazem uma perspectiva educacional voltada para o desenvolvimento cognitivo autônomo, ressaltando a capacidade de aprendizagem natural dos indivíduos. E, quando trata da experiência de aprendizagem mediada, demonstra-nos a importância de todos os aspectos que compõe o meio e destaca o papel do educador como facilitador nesse processo.

EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM MEDIADA (EAM)

A EAM é o processo pelo qual a aprendizagem acontece a partir do posicionamento de outro ser humano entre o sujeito e o objeto de conhecimento, que se coloca selecionando, interpretando e ampliando os objetos sendo, nessa ideia, essencial o papel do professor. Difere-se da aprendizagem pela qual o aluno interage diretamente com o objeto de conhecimento, sem necessariamente ter um mediador.

Ter um objetivo pedagógico é essencial para uma aprendizagem significativa neste método, o professor é o mediador do conhecimento, seu foco está nos processos acionados pelo pensamento dos alunos ao tratarem os conteúdos, vistos aqui como meios para o desenvolvimento cognitivo, e não como fins em si mesmos. Tais afirmações renovariam e fortaleceriam o papel do professor em uma nova sociedade, pois por mais informações que se produzam e por mais facilidades de acesso que os aprendizes tenham, sem professores mediadores os conhecimentos correriam o risco de serem vistos como efêmeros e descartáveis.

O ALUNO COMO SER ÚNICO NA EDUCAÇÃO

A abordagem desenvolvida por Feuerstein salienta não apenas que há outras possíveis maneiras de se aprender, como também que aquele que não consegue aprender por um método, pode fazê-lo se submetido a outros mecanismos. Uma das suas grandes contribuições está no fato de apostar na capacidade que cada um tem de aprender, fortalecendo o ser como um sujeito dotado de estruturas mentais com poder enorme para o seu próprio desenvolvimento.

 

Gostou desse artigo? Deixe seu comentário e compartilhe!

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*