Vida de Adulto (parte 2)

Vida de Adulto (parte 2)

O processo de aprendizagem dos alunos do GUROO não está isolado no âmbito acadêmico, uma vez que inclui vivências e experiências que ajudam na construção dos valores de uma postura ética e na formação humana em um contexto geral.

Dando prosseguimento ao projeto do professor Guilherme “BIG”, de Cidadania e Trabalho da turma de Ciências Sociais do 6º Ano Vespertino, após a pesquisa sobre “trabalho”, o levantamento de fontes, a análise de gráficos e produção textual a partir de dados, nossos alunos foram convidados a pensar a questão financeira de suas famílias, analisar os custos referentes à vida adulta e as questões de desigualdade social.

Primeiro os estudantes foram convidados a levantar as despesas de sua casa: água, luz, internet, condomínio, telefone e aluguel.  A partir desses dados, iniciaram o processo de compreensão do valor real do dinheiro em suas vidas e de como ele contribui para o acesso a bens e serviços. Normalmente nossos alunos de 6º Ano não conseguem ter a noção do valor financeiro por conta da falta de contato com as contas de casa, ou seja, pela falta de organização financeira deles mesmos quanto aos seus gastos.

Após esta primeira etapa, deveriam levantar os custos com a alimentação de suas casas e, em paralelo, anotar todas as despesas particulares. Durante uma semana, essas anotações somaram o investimento feito, que, em seguida, foi multiplicado por quatro para terem uma estimativa média dos seus gastos mensais.

A partir do momento em que todos os levantamentos e as estimativas estavam feitos, os nossos estudantes deveriam calcular o custo individual dentro do orçamento familiar e chegar ao valor aproximado desse resultado para que fosse possível realizar a última fase do trabalho. 

Após uma conversa com os alunos, o professor de Ciências Sociais lançou o desafio para que todos os estudantes adaptassem seu custo de vida total ao valor de um salário mínimo, e nesta adaptação deveriam ser descritos: itens de supermercados (com quantidades e valores); valor descrito para custos de sua casa( água, luz, internet, condomínio, telefone, aluguel); e uma estimativa de gastos com transporte, vestuário e lazer.

A atividade encerrou-se com o retorno ao conteúdo da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, especificamente em seu artigo 7º, inciso VI, que garantiu aos trabalhadores urbanos e rurais um “salário mínimo fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às de sua família, com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim”.

Nosso alunos encerraram o ano de 2019 com uma nova visão de mundo e com uma relação diferente com relação ao trabalho e dinheiro.

 

Confira a postagem da primeira etapa do projeto: AQUI.

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*