Matrículas Abertas: +55 (48) 3233-0785

Quem faz um conto … escreve bem!!!

Quem faz um conto … escreve bem!!!

A galerinha do 7º Ano vespertino, em redação (língua portuguesa), está produzindo um LIVRO DE CONTOS que será entregue na segunda semana do mês do agosto/2019. Os textos narrativos possuem um lado emocional e forte para cativar o leitor, e os alunos estão se esforçando ao máximo para isso! Sabe-se que o conto – se é que aqui se pode contar um – nasceu das narrativas orais de pai para filho, e assim se deu por gerações, até que alguém, em algum dia, começou a rabiscar e definir signos visuais em sonoros e criou a escrita.

E para que a NOSSA escrita também se defina em signos sonoros, a dividimos em passos de produção. O primeiro passo foi o de escolher as temáticas para cada conto (afinal, eles devem produzir de 3 a 5 contos, UFA!!) – com acontecimentos fortes ou marcantes para envolver o leitor. No segundo passo, deu-se a fase de apresentação das temáticas escolhidas pelos alunos. E é neste momento que se sai da realidade para a ficção, ou seja, é neste passo que a narrativa deixa de lado os fatos reais, entra numa “realidade” ficcional, ganha uma nova personagem e um novo ambiente. O terceiro passo: meter a mão na massa! Ou seja, após as demarcações, a produção escrita começou: uns alunos optaram em produzir seus contos individualmente, outros, em dupla. E assim a escrita dos contos nasce pelas palavras que nos norteiam e nos condicionam, muitas vezes, aos fatos e aos atos da ficção. Seja como for, é a força das palavras que nos move e nos guia na direção das nossas convicções.

Vamos!! Vamos ao trabalho! ideias! FÔLEGO … Escrita, reescrita! Empenho! Ponto! Vírgula. … Escreve. Revisa. Apaga. Digita. Vai-se à biblioteca. Salva. Lê. Muda. Refaz. Desenha. Ilustra. Produz o livro: capa, contra-capa, editora, autores, sumário, Conto 1 (PRONTO!) – Conto 2 (EM PROCESSO) – Conto 3 (E agora!!??? – inspiração, cadê você?). E assim segue o 7ºAno vespertino  … segue escrevendo os sentimentos, os segredos, as dores e os amores de seus personagens em letras, em palavras, em afetos. Afinal, as palavras são (quase) sempre mágicas! O seu poder determinante constitui a alavanca para a existência. Às vezes, uma palavra certeira, em meio ao caos da emoção, pode fazer a diferença entre estar bem ou não.

Quando a escrita for finalizada, lá em agosto, a ideia é a de imprimir os livros, e após uma revisão pela professora de Língua Portuguesa – mero veículo da aprendizagem – em conjunto com os alunos, deixá-los (já encadernados) disponíveis na Biblioteca do Colégio para que todos possam lê-los. E assim, pretende-se suceder – a cada ano – de cada 7°Ano da professora Maria Amália!! Deixá-los para uso de todos para que a escrita de tão belas histórias não “morram” em um “mero” trabalho de Língua Portuguesa   …. Bom, mas, isso já é história para outra NEWS!!

“Escrever é fácil. Você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca ideias.”

Pablo Neruda.

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*