Matrículas Abertas: +55 (48) 3233-0785

A física dos capacitores

A física dos capacitores

Nas aulas da semana do dia 06 e na semana do dia 13, os alunos dos segundos anos do Ensino Médio aprenderam sobre os capacitores elétricos. Afinal de contas, o que é um capacitor? Qual seu uso no dia a dia?

Capacitor é um dispositivo capaz de acumular cargas elétricas quando uma diferença de potencial é estabelecida entre seus terminais. A capacitância desses instrumentos, por sua vez, é a medida de quanta carga o dispositivo é capaz de acumular para uma determinada diferença de potencial.

Geralmente, eles são produzidos de forma simples, formados por duas placas condutoras paralelas, chamadas de armaduras, que podem ou não ser preenchidas com um meio altamente dielétrico (isolante).

Uso dos capacitores:

Os capacitores são utilizados nos mais variados tipos de circuitos elétricos, nas máquinas fotográficas, armazenando cargas para o flash, por exemplo. Eles podem ter o formato cilíndrico ou plano, dependendo do circuito ao qual eles estão sendo empregados. Um capacitor tem a capacidade de descarregar toda a sua força em fração de segundo, ao contrário das pilhas e baterias, que podem demorar vários minutos tanto para ter sua carga completa, quanto para o contrário.

As câmeras precisam ter um flash, e são as pilhas que desempenham a função de carregá-lo com energia durante alguns segundos. No entanto, na hora de tirar a foto, apenas um capacitor pode fazer o descarregamento de toda a carga no bulbo do flash de maneira instantânea.

Os capacitores estão presentes nas transmissões de rádio em frequência determinada. As estações enviam ondas que são captadas por antenas de aparelhos eletrônicos transmissores, as quais têm a capacidade de sintonizar as diversas estações (cada uma possui uma frequência determinada), porque possuem um receptor que se utiliza do circuito ressonante.

Para que uma pessoa possa ouvir a transmissão de uma estação, é preciso que exista uma transformação de correntes. O circuito ressonante muda a corrente alternada para a contínua e, para isso, usa um capacitor variável que fica em paralelo com a bobina.

 

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*