Os vírus

Quando se fala sobre vírus, ocorre uma certa discordância entre os cientistas acerca de classificar ou não esses organismos como seres vivos, e isso acontece porque eles apresentam características distintas de todos os outros organismos vivos do planeta.

Os vírus são organismos acelulares, ou seja, não são constituídos por células (considerada a menor unidade morfológica e fisiológica dos seres vivos). Desta maneira, para apresentarem funções vitais, necessitam de uma célula hospedeira. Assim, não apresentam metabolismo próprio e não se reproduzem fora da unidade hospedeira, o que os faz ser considerados parasitas intracelulares obrigatórios.

O corpo dos vírus é formado basicamente por um material genético, que pode ser constituído de RNA (ácido ribonucleico) ou DNA (ácido desoxirribonucleico) e de uma cápsula de proteína que envolve e protege seu material genético. A constituição da morfologia viral e o fato de serem organismos parasitas acarreta grandes problemas de saúde pública, causa epidemias locais e mundiais de diferentes tipos de doenças, como o Ebola, ocorrido na África em 2013, e a Gripe, que todos os anos causa morte no Brasil.

O organismo humano é aparelhado com um eficaz sistema de defesa denominado sistema imunológico, constituído de células especializadas em combater o ataque de agentes invasores, como os vírus. A defesa imunológica desempenhada pelo organismo pode ser realizada de duas formas: por fagocitose, em que células especializadas realizam o englobamento da partícula invasora, digerindo-a, ou pela produção de anticorpos, que são proteínas específicas produzidas para combater enfermidades.

Entretanto, existem substâncias produzidas de forma exógena que auxiliam na prevenção de muitas doenças ocasionadas por esses organismos, que são as chamadas vacinas.

As vacinas são de extrema importância para o controle epidemiológico e até mesmo para a erradicação de doenças em um determinado território.

Nos últimos anos, tem havido em território brasileiro uma certa resistência por parte da população em relação à vacinação. Isso fez com que muitos brasileiros deixassem de se vacinar, o que trouxe de volta a atividade de vírus que um dia foram considerados erradicados de nosso território, como, por exemplo, o Poliovírus, causador da Poliomielite, popularmente conhecida como Paralisia Infantil.

A partir de todo esse pressuposto, os alunos do 7° A EF do período matutino desenvolveram uma atividade lúdica sobre as principais doenças virais que assolam a nação brasileira todos os anos, como a AIDS e a GRIPE, por exemplo.

A proposta da atividade foi de que os alunos, previamente divididos em grupos, sob a supervisão e orientação do professor de Ciências Naturais, Diogo Barros Reis Silva, elaborassem pequenas encenações para explicarem a morfologia dos vírus, os sintomas das doenças, as formas de tratamento e de prevenção, evidenciando a importância da vacinação para aquelas enfermidades para as quais esse método de prevenção é existente.

As atividades desenvolvidas pelo alunos podem ser conferidas nos vídeos gravados durante as apresentações, os quais foram editados com a colaboração e a participação dos alunos Sarah e Rodrigo, e destacam o empenho dos grupos em preparar diálogos cênicos com direito a figurino e tudo mais. Confira!

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR O VÍDEO COMPLETO.

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*