Matrículas Abertas: +55 (48) 3233-0785

Visita a Entidades Assistenciais

Visita a Entidades Assistenciais

A presente atividade foi implantada não somente como requisito para obtenção de nota avaliativa, critério parcial para a composição do conceito bimestral de desempenho do aluno, mas principalmente para fazer com que os educandos da turma de 2º Ano do Ensino Médio possam experimentar o dia a dia de idosos, crianças e adultos como forma de contextualizar as teorias científicas sociais estudadas em sala de aula. No caso, as contempladas foram as de ordem antropológica muito voltadas para a identificação “in loco” daquilo que forma a consciência coletiva. Como essa consciência está muitas vezes centrada na perspectiva de conquistas materiais, cabe a análise de que muitos seres humanos e animais irracionais sensíveis à dor não têm suas necessidades básicas para a sobrevivência garantidas.

Assim, ter contato com as experiências daqueles que os recebem torna os estudantes do colégio Guroo, especificamente da turma de 2º Ano do Ensino Médio, mais reverentes, piedosos, enfim, mais propensos ao desenvolvimento da empatia. Colocar-se no lugar do outro é gerar participação social ao máximo, condição apontada por muitos intelectuais da História como o ato político por excelência.

Além disso, a vivência proposta pelo professor Rodrigo Noceti Martins visa contribuir para o aprimoramento do olhar crítico frente ao mundo experimentado, pressuposto que pode fomentar nas condutas dos envolvidos na referida pesquisa um foco científico de percepção das causas, das consequências e de possíveis soluções para as dificuldades que todos temos de enfrentar, sempre coletivamente e, por consequência, individualmente, com muita organização e grande esforço desprendido.

Os objetivos desse projeto sociológico são as vivências sociais classificadas como adequadas ao acúmulo de experiências. Trata-se de uma prática empírica, propriamente científica, de maior contato com seres humanos e animais irracionais sencientes, ou seja, que têm capacidade de sentir dor. Nesse contexto, muitos alunos emitiram provas desses contatos, principalmente visando racionalizar os sentimentos em nossos atos do cotidiano. É o caso das alunas Elisa, Júlia, Giselly, Maria Clara e Maria Eduarda, da turma do 2º Ano do Ensino Médio que, ao visitarem o Centro de Educação Infantil Nossa Senhora da Boa Viagem, sediado no bairro Saco dos Limões, em Florianópolis, demonstraram a seguinte reflexão: “Com a visita, aprendemos que a nossa realidade não é a mesma da maioria. Custa muito pouco doar um pouquinho do nosso tempo, separar brinquedos, roupas e livros que não usamos mais e irmos visitá-los. A felicidade de quando viram os brinquedos que levamos não se compra”.

Enfim, para melhor entendimento das necessidades que temos de viver de maneira simpática às necessidades alheias, recomenda-se a leitura de duas obras: uma de ordem sociológica, e outra de vertente filosófica:

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Editora Jorge Zahar; Rio de Janeiro, 2001.

SINGER, Peter. Ética Prática. Editora Martins Fontes; São Paulo, 2004.

Mais que formação, é transformação!

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*